Agropecuária do Brasil deve crescer 0,7% em 2019

Cotação de Commodities

Agropecuária do Brasil deve crescer 0,7% em 2019

O valor da produção agropecuária do Brasil deve alcançar 588,8 bilhões de reais neste ano, acima da previsão de março e dos 584,3 bilhões em 2018. A projeção é do Ministério da Agricultura, citando preços mais altos para boa parte das culturas.

 

Os dados mostram que milho, algodão, laranja, feijão e batata-inglesa apresentam as maiores taxas de crescimento real no valor. Além disso, tudo indica que a produção de milho deverá crescer de forma expressiva ante a do ano passado, afetada por problemas climáticos.

 

O Conab aponta forte recuperação da safra do Milho, chegando a 94 mi t, superando números do ano passado. Ao mesmo tempo, o algodão deverá atingir históricos 2,65 milhões de toneladas. A pluma, segundo o Ministério da Agricultura, deve alcançar o valor mais elevado da série, com 40,3 bilhões de reais.

 

O Porta-voz do MAPA

 

“Este valor supera em duas vezes o da produção do café, que pelo terceiro ano consecutivo tem redução”, destacou José Gasques, coordenador geral de Estudos e Análises da Secretaria de Política Agrícolas do ministério.

 

Apesar dos preços internacionais enfraquecidos, o café apresentou uma grande queda de valor em 2019, 19,6%. A soja, cuja safra neste ano será menor, deve apresentar retração de 12 por cento.

 

Também são esperados recuos para arroz ( – 8,4%), cana-de-açúcar (-6,3%), e mandioca (-4,2%). Enquanto na pecuária, suínos, leite e ovos também têm apresentado redução de valor em relação a 2018.

 

O valor bruto da produção das lavouras deve ser de 392,4 bilhões de reais em 2019 e o da pecuária, de 196,4 bilhões, concluiu o MAPA.

Fonte: Investing

Agropecuária do Brasil no acordo Mercosul-UE

De acordo com o G1, 82% dos produtos agrícolas vendidos pelo Mercosul à UE terão taxa zero em dez anos. O Secretário do Comercio Exterior, Lucas Ferraz, fala em mais de R$ 1 trilhão de reais nos próximos 15 anos. A estimativa é o que acordo entre em vigor nos próximos dois anos.

Cotação de Commodities